Prefeitura de Piranhas se transforma em uma das mais enxutas do Estado de Goiás

Prefeito André Ariza

Prefeito André Ariza

Em sua segunda ação com o intuito de enxugar a máqui¬na administrativa o prefeito de Piranhas, André Ariza, cortou prati-camente todos os comissio¬nados da Prefeitura. Dessa vez foram exonerados su¬perintendentes, diretores, gerentes, chefes e assesso¬res de gabinetes que traba¬lhavam em comissão. Com essa medida a Prefeitura de Piranhas se tornou uma das mais enxutas do Esta¬do de Goiás. Agora cerca de 99% da máquina públi¬ca funciona com funcioná¬rios efetivos.
O corte atingiu convênios e contratos de alugueis – antes custeados pela Prefeitura, gratifica¬ções, horas extras, diárias, ajudas de custo, licenças prêmio, cessão e/ou loca¬ção de veículos para via¬gens, realização de eventos e qualquer outro tipo de despesa considerada “su¬pérflua”. “Vamos manter o básico que a Lei determina até reestabelecer a saúde das finanças municipais”, disse o prefeito André Ari¬za.
Outra novidade é que desde o dia 23 de mar¬ço apenas os departamen¬tos de coletoria e licitação estão funcionando em horário normal, das 8 às 17 horas. Os demais, que compõe o Centro Admi-nistrativo, estão atendendo das 7 às 13 horas. “Serão seis horas ininterruptas de atendimento. Com a redu¬ção da carga horária nos¬so objetivo é aproveitar o corpo efetivo para outras ações emergenciais. Tam¬bém vamos economizar com energia elétrica e ou¬tros serviços”, justificou o prefeito.
Os vencimentos dos médicos também so¬freu novo impacto, desta vez na ordem de R$ 30 mil. No total vinha sendo gas¬to R$ 280 mil com os pro¬fissionais, no início do ano o valor foi rebaixado para R$ 175 mil e agora, com a nova redução, ficará em R$ 135 mil. Segundo os cál¬culos da administração os cortes feitos são da ordem de R$ 220 mil por mês.
A atitude de sus¬pender a gratuidade do transporte escolar para universitários que estu¬dam em cidades da região também foi tomada. Para o prefeito André Ariza não foi fácil tomar a decisão, mas foi necessário devido ao momento de crise que a prefeitura vem passando. “Fiz com o coração partido, mas conversei francamen¬te com cada um, mostrei a realidade, as dificuldades que a Prefeitura vem en¬frentando, e percebi que a maioria entendeu”.
No decreto assi¬nado pelo prefeito os cor¬tes atingem gastos como energia elétrica, papel, ma¬teriais de limpeza e con¬trole rigoroso de outros materiais e medicamentos necessários para o bom funcionamento dos servi¬ços essenciais oferecidos pelo município. “Vamos continuar as reuniões com as categorias, ouvindo a população e realizando os cortes necessários até ree¬quilibrar as contas”, aler¬tou o executivo. No total serão economizados cerca de R$ 900 mil até o mês de julho, quando uma nova avaliação da gestão será feita.
O descontrole com as dívidas e o pagamento do Ins¬tituto Nacional do Seguro Social, (INSS) e Instituto Municipal de Previdência e Assistência dos Servido¬res de Piranhas (IPASPI) vem se arrastando há anos.
Há décadas os prefeitos que antecederam o prefeito André Ariza, adotaram em suas gestões o hábito de descontar o INSS dos servidores e não repassar o valor ao instituto para depois poder parcelar a dívida em centenas de vezes, para assim deixar a divida para o prefeito seguinte.
Esta ação dos prefeitos passados acarretou consideravelmente as finanças da Prefeitura Municipal, que hoje tem sempre os valores descontados do seu Fundo de Participação (FPM), ocasionando atrasos nos pagamentos dos fornecedores.
. Com as ações tomadas o prefeito André vem tentando organizar as finanças da prefeitura municipal para deixa-lo apto a receber as certidões para que o município possa receber recursos dos governos federal e estadual.
“Temos novos investimentos por vir. Até o final do ano convênios serão firmados, vamos receber emendas dos nossos deputados. Os Governos Estadual e Fede¬ral também estão ao nosso lado e temos uma expecta¬tiva de receber aproxima¬damente três milhões de reais de investimentos até o final do ano. Mas para isso precisamos estar pre¬parados, com a casa e as certidões em ordem, tirar o município da inadimplên¬cia para recebermos os re¬cursos”, destacou o prefeito.

Segundo o prefeito além da má admi¬nistração feita no passado, outros problemas têm afe¬tado diretamente a vida dos piranhenses. É que as verbas consideradas importantes não estão chegando como antes. Um dos exemplos é a merenda escolar, que até o mês de março a Prefeitura recebeu apenas R$ 7 mil sendo que já foram gastos cerca de R$ 70 mil e a con¬trapartida do Estado de Goiás com relação ao trans¬porte escolar também não está em dia.
“Esses atrasos acabam nos colocando em uma situação ainda mais complicada. Não dá pra ficar sem merenda nas es¬colas e nem mesmo para fi¬car sem buscar as crianças que vivem na zona rural, então temos que dar conta do dinheiro para que a co¬munidade não sofra esses reflexos negativos”, frisou André.
Questionado a res¬peito do que o prefeito está fazendo pessoalmen¬te, para minimizar a crise, André Ariza afirmou que está empenhado para resolver os problemas do dia a dia.
“Uma das minhas provas de preocupação é que nunca abasteci com o combustível da Prefeitura e todas as viagens que faço em busca dos interesses do município são custeadas por mim, no meu carro particular, sem as diárias permitidas por lei”, reve¬lou.

Segundo o prefeito André Ariza os cortes anunciados não irão afetar a qualidade dos serviços básicos realizados pela prefeitura municipal e garantiu que o ní¬vel te atendimento não vai baixar. “Estamos nos reu¬nindo com os profissionais de todas as áreas e falando sobre isso. A prefeitura de Piranhas tem 386 funcio¬nários efetivos e vamos distribuir esse pessoal em todas as áreas. Vamos utili-zar o corpo de efetivo para fazer essas ações e não di¬minuir a qualidade nem o nível do atendimento, para não termos que fazer como está acontecendo em vários municípios do Estado que estão fechando creches e paralisando o atendimento em várias áreas da admi¬nistração”, esclareceu.

Visando melhorar as finanças do município a administração municipal irá investir em campanhas de conscientização para que os moradores da cidade paguem os seus IPTUs.
Para o prefeito André este é um dos principais impostos e a falta do seu pagamento reflete diretamente na qualidade de vida de todos.
“Estamos dando o exemplo, estamos cortando na própria carne, estamos sofrendo o desgaste político, físico e emocional. Agora chegou a hora dos piranhenses darem a sua contribuição pagando os seus impostos, para que nós possamos fazer as obras que tanto cobram”, frisou o prefeito.

Segundo o prefeito a Planta de Valo¬res Imobiliários também deverá ser revista, pois vem há muitas décadas desatualizada.
“Nosso IPTU está defasado. Hoje em Piranhas temos pro-prietários de imóveis que pagam imposto por um lote sendo que na verdade já existe casa no terreno. Outro problema são as ca¬sas modernas que tem um imposto baixíssimo. Com a atualização faremos a jus¬tiça fiscal, onde quem tem mais paga mais e quem tem menos paga menos e arrecadaremos mais” pontuou.

Entre as priorida¬des apontadas pelo prefei¬to para 2015 estão o recape¬amento asfáltico, o asfalto do Setor Morada Nova e outras regiões que ainda não foram comtempladas, a rede de esgoto que já está com o projeto pronto, a construção de um novo ce¬mitério ou a ampliação do São Miguel, a revitalização da entrada da cidade com pista de caminhada, espaço para lazer e academia ao ar livre e a ampliação do Hos¬pital Cristo Redentor.
“Não podemos perder essa espe¬rança mesmo no momento de crise. A crise não existe só em Piranhas, mas aqui posso garantir que vamos passar por ela de cabeça erguida. Tenho convicção de que a partir do segundo semestre vamos viver um novo momento. Estamos trabalhando para vencer esse período difícil até 31 de julho. Não vou me aco¬vardar”, frisou André Ariza.
Ele lembrou que em março completou um ano no comando da Prefei¬tura. “Estamos no comando da prefeitura somente há um ano e vale lembrar que entramos por força da Lei e devido ao afastamento do prefeito eleito, posso afirmar que este período foi mais de aprendizagem, de reconhecimento da máquina pública, da real situação da administração municipal, que não encontramos nada boa, estava péssima e caótica, Agora sim, passado esse período, com os pés no chão e com o conhecimento que tivemos, iremos fazer muito por piranhas, por isso peço o apoio dos piranhenses, vamos somar forças, unir as mãos, para que possamos ter dias melhores”, pediu o prefeito.