Ipora : Prefeitura concede aumento de 12.84% para os professores e 4.48% a todos os outros servidores do município

Prefeito Naçoitan Leite concede aumentos sucessivos aos funcionários

O prefeito de Iporá Naçoitan Leite concede aumento de 12.84% no piso salarial dos profissionais da rede municipal de educação para 2020. Passando de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.
O acréscimo está previsto na Lei do Piso (Lei11.738), de 2008.  Isto significa que nenhum professor do município receberá menos do que este valor, inclusive os novos contratados.
Este aumento terá um impacto mensal na folha de pagamento do município de mais de R$ 80.000,00.
A lei Federal não é cumprida por muitos municípios brasileiros que alegam falta de recursos, inclusive o Governo de Goiás ainda não fez o pagamento de 2019.
Assim que o reajuste foi anunciado o prefeito Naçoitan Leite enviou para a Câmara Municipal a Lei Complementar 04/2020 que introduz alterações na tabela de vencimentos do quadro permanente e transitório do profissional da educação.
O pagamento será retroagido a janeiro de 2020 e a diferença de R$ 328,50 será pago junto com a folha do mês de abril. No mês de fevereiro os professores já receberão o salário atualizado, segundo previsões no dia 24.
O executivo municipal concedeu ainda um aumento de 4.48% a todos os outros servidores da administração municipal. Este aumento terá um impacto mensal na folha de pagamento do município de R$ 123.000,00.
Parcelamento de reajuste salarial de 2010 tem impacto na folha de pagamento de R$ 300 mil
Além de conceder os aumentos normais desta gestão 2017/2020, o executivo municipal teve que parcelar o reajuste de 11.42% de 2010 que não foi concedido pelo gestor da época aos professores do município.
O parcelamento foi realizado em 4 vezes, sendo 3% em 2019, 3% em 2020, 3% em 2021 e 3% em 2022.
O parcelamento se deve a um mandato de injunção referente a 11.42% da Lei 05/2019 e tem um impacto mensal na folha de pagamento de R$ 300.000,00.
Sendo assim, os aumentos concedidos pela atual administração e o parcelamento do reajuste de 2010, passou a impactar a folha de pagamento em R$ 503 mil.